Compartilhar:

Blog

Novo anticoncepcional masculino é aprovado em teste iniciais

Novo anticoncepcional masculino é aprovado em teste iniciais

As mulheres acabam tendo uma grande responsabilidade na hora de evitar a gravidez, já que o mercado oferece mais opções de contraceptivos, como por exemplo as pílulas anticoncepcionais e o DIU. Porém, esse cuidado deve ser tomado pelos homens também e, embora a camisinha seja a melhor forma de prevenir a gravidez e evitar doenças, pesquisadores começaram a desenvolver um novo método contraceptivo masculino.

O estudo apresentado durante a ENDO 2019, conferência médica realizada nos Estados Unidos, mostrou que a pílula anticoncepcional para homens, chamada 11-beta-MNTC, teve bons resultados na primeira fase de um teste em humanos, que avaliou sua tolerância e segurança no organismo.

Para analisar a eficácia da pílulas, os pesquisadores da L.A. BioMed recrutaram 40 homens saudáveis com idades entre 18 a 50 anos. Os voluntários tiveram que tomar o remédio por 28 dias consecutivos, sendo que 10 deles receberam apenas placebo para que houvesse uma comparação.

Amostras de sangue dos participantes foram retiradas antes e depois do estudo para medir os níveis hormonais. Além disso, eles passaram por um questionário no qual deveriam responder se tiveram dores, mudanças de humor e na função sexual durante a pesquisa.

Os resultados mostraram que nenhum dos homens apresentou efeitos colaterais graves com o uso da pílula, alguns relataram apenas fadiga, dores de cabeça, acne e diminuição da libido – sintomas muito parecidos com a versão da pílula anticoncepcional feminina.

“Nas mulheres você tem muitos, muitos métodos. A pílula, o adesivo, o anel vaginal, dispositivos intra-uterinos, injeções. Nos homens não há nada que seja como a contracepção hormonal. O padrão não é igual para os gêneros”, ressaltou Christina Wang, principal autora da pesquisa, à revista Time.

De acordo com os investigadores, o medicamento é composto por progesterona e funciona como bloqueador dos hormônios LH e FSH, que são essenciais para formação do esperma. No entanto, eles ainda precisam fazer mais pesquisas para entender que a pílula irá impedir a produção de espermatozoides nos testículos sem causar infertilidade e disfunções sexuais.

A previsão de o anticoncepcional masculino efetivamente existir, como hoje é o feminino, é para daqui a dez anos, em 2029.

“Nossos resultados sugerem que essa pílula, que combina duas atividades hormonais em uma, diminuirá a produção de esperma ao mesmo tempo em que preserva a libido”, afirmou, em nota, Christina Wang, pesquisador no centro de Pesquisa Biomédica de Los Angeles e no Centro Médico de UCLA Harbor.

A nova pílula é vista como algo similar ao DMAU, outro contraceptivo masculino de via oral em fase de testes, analisado pela mesma equipe de especialistas. Além disso, em 2017 outro método estava sendo testado, o Vasalgel é uma injeção medicamento é composto por um gel, aplicado diretamente no duto deferente, um canal que leva o espermatozóide do testículo para a uretra.

Embora as expectativas sejam grande para que esses contraceptivos cheguem ao mercado, essa realidade ainda está longe de acontecer.

Fonte: MinhaVida

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *